Produzir um texto é o ato de compor e transmitir uma mensagem através do código escrito. A produção textual cumpre uma finalidade comunicativa, visando atingir um determinado receptor.

Através da produção de texto, é possível dizer alguma coisa a alguém, num determinado contexto e num determinado momento, tendo algum objetivo.

Como produzir um bom texto?

A produção de textos é um procedimento complexo que envolve diversas competências aprendidas ao longo da vida e da escolarização.

Esquematizar ideias num papel requer, além dos diversos conhecimentos de português, um amplo repertório de leitura, bem como um contato frequente com diferentes gêneros textuais.

Os passos básicos da produção textual são:

  • Planejamento: Estruturação do objetivo do texto, do tipo de texto que será redigido, das ideias principais e secundárias que serão transmitidas e de toda a organização do texto, através da criação de um projeto de texto, de um rascunho ou de um mapa de ideias.
  • Escrita: Redação de toda a informação estruturada no planejamento em um todo organizado com coesão e coerência. Desenvolve-se maioritariamente através da estrutura textual típica de introdução, desenvolvimento e conclusão.
  • Revisão: Verificação de todos os aspectos que envolvem a produção do texto, como cumprimento do propósito comunicativo, estruturação do conteúdo dos diferentes parágrafos, adequação vocabular, correção sintática e ortográfica,…

Bom escritores, contudo, não entendem esses três passos de forma estanque e sequenciada, mas sim como três procedimentos complementares que ocorrem durante todo o processo, de forma interligada. Qualquer palavra, frase ou parágrafo escrito deverá ser planejado e revisado antes da escrita da próxima palavra, frase ou parágrafo, que dará continuidade ao que foi anteriormente escrito.

Será, assim, mais fácil a produção de textos com coerência e coesão, que cumprem o seu propósito comunicativo, causando uma mudança no estado de espírito dos leitores.

Como começar?

Para iniciar a produção de um texto deverá:

  • entender o tema e o propósito comunicativo;
  • conhecer os tipos de texto;
  • escrever com coerência e coesão;
  • dominar o código escrito da língua portuguesa.

Tema e o propósito comunicativo

Para uma adequada produção de texto, é necessário entender o tema na sua totalidade, de forma segura, e refletir sobre ele de forma crítica, pensando nas informações que possui e nas opiniões tem sobre o assunto.

É também essencial definir a finalidade comunicativa do texto, ou seja, o seu objetivo ou propósito, bem como o público-alvo a que se destina. Só assim será possível estruturar as ideias principais e secundárias do texto e definir um título adequado ao conteúdo.

Tipos de texto

Conhecer os diversos tipos de texto e as principais características de cada tipologia textual é decisivo na estruturação do texto, para que se defina o tipo de texto mais adequado ao seu propósito comunicativo.

Os principais tipos de texto são:

  • Texto narrativo: Usado para contar uma história através de uma sequência de ações imaginárias ou reais.
  • Texto descritivo: Usado para apresentar a descrição pormenorizada de alguém ou de alguma coisa, fazendo com que o leitor crie uma imagem mental do objeto ou ser descrito.
  • Texto dissertativo: Usado para informar o leitor. Esclarece o leitor sobre um determinado assunto ou tema, através da exposição rigorosa e clara desse assunto ou tema. Pode ser expositivo ou argumentativo.
  • Texto explicativo: Usado para instruir o leitor acerca de um procedimento. Fornece informações que orientam a conduta do leitor. Pode ser injuntivo ou prescritivo.

Aprofunde seus conhecimentos sobre tipos de texto e suas características.

Coerência e coesão

É essencial estruturar as diversas partes do texto, distinguindo a parte introdutória do texto da parte do desenvolvimento do assunto e da parte final do texto, na qual é feita uma conclusão.

Apresentar e desenvolver as suas ideias de forma coerente e coesa e formar um todo organizado cria uma linha de pensamento mais facilmente seguida e apreendida, bem como harmonia entre os diversos momentos do texto.

Também deverá ser prestada a devida atenção ao título. Sendo uma parte essencial do texto, tem de estar relacionado com o assunto e ser motivador.

Aprenda como criar coerência e coesão em seus textos.

Código escrito da língua portuguesa

Existem diversas regras que devem ser respeitadas na linguagem escrita. O uso correto do código escrito possibilita uma comunicação com maior sucesso na transmissão e compreensão da mensagem.

Usar corretamente os sinais de pontuação

Os sinais de pontuação e outros sinais gráficos auxiliares da escrita marcam o ritmo do texto e conferem à linguagem escrita uma maior clareza, facilitando o processo de leitura. Privilegia-se a construção de frases curtas e diretas.

Durante a produção textual deverá ser dada especial atenção ao uso da vírgula, considerado por muitos como confuso devido a sua flexibilidade, bem como à padronização na realização de citações, abreviaturas ou notas, na escrita de siglas, horas, palavras estrangeiras,…

Saiba mais sobre como usar os sinais de pontuação.

Dominar a ortografia das palavras

Respeitar as regras ortográfica da língua portuguesa, conforme o acordo ortográfico vigente, implica não cometer erros ortográficos, bem como usar adequadamente as letras maiúsculas e minúsculas e realizar a correta acentuação das palavras. Salientamos o uso do hífen que, com variadas funções, tem causado dúvidas entre os falantes, gerando diversos erros de escrita.

Leia um guia completo da nova ortografia.

Evitar vícios de linguagem

Vícios de linguagem são pequenos desvios gramaticais que, embora ocorram frequentemente na linguagem falada, causam ambiguidade e empobrecimento do texto escrito, como:

  • redundância criada pelo uso de palavras desnecessárias;
  • desvirtuação do texto criada pelo excesso de estrangeirismos, neologismos, gírias e chavões;
  • incompreensão da mensagem criada por falta de concordância, regência e paralelismo.

Conheça os principais vícios de linguagem.

Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.