Embora as palavras nos sejam apresentadas como um todo significativo, podem ser subdivididas em estruturas significativas menores, chamadas de morfemas ou elementos mórficos. 

Poeira
poeira (poeir - a)
poeirento (poeir - ento)
poeirada (poeir - ada)
empoeirar (em - poeir - ar)
empoeirados (em - poeir - ado - s)
desempoeirar (des - em - poeir - ar)
desempoeirado (des -em -poeir - ado)

Equilíbrio
equilíbrio (equilibr - io)
equilibrar (equilibr - ar)
equilibristas (equilibr - ista - s)
equilibrado (equilibr - ado)
desequilibrar (des - equilibr - ar)
desequilibrado (des - equilibr - ado)

A separação dos morfemas constituintes das palavras não é uma tarefa simples e linear, sendo necessária a compreensão do significado dos diferentes morfemas.

Morfemas da palavra patinhos (pat-inh-o-s)
pat (radical)
inh (sufixo indicativo do diminutivo)
o (desinência indicativo do masculino)
s (desinência indicativo do plural)

Morfemas da palavra encontrávamos (encontr-á-va-mos)
encontr (radical)
á (vogal temática)
va (desinência indicativo do modo e tempo verbal)
mos (desinência indicativo da pessoa e número verbal)

Existem diferentes elementos mórficos, com diferentes significados:
radical e raiz;

  • vogal temática;
  • tema;
  • desinências;
  • afixos;
  • vogais e consoantes de ligação.

Radical e raiz

O radical, também chamado de morfema lexical, é a parte fundamental da palavra, definindo o seu significado principal. A raiz é, também, a base de significação mais irredutível de uma palavra.

O radical é um termo usado regularmente, sendo facilmente depreendido. Apresenta um caráter prático e gramatical. Já a raiz é analisada segundo uma perspectiva histórica, implicando estudos etimológicos.

Exemplo de radicais de palavras:

  • cant- ar;
  • cant- or;
  • cant- iga-

Aprenda também os radicais gregos e latinos.

Vogal temática

As vogais temáticas ocorrem entre um radical e uma desinência. Ocorrendo em verbos, são chamadas de vogais temáticas verbais. Ocorrendo em nomes, são chamadas de vogais temáticas nominais.

Nos verbos, as vogais temáticas indicam a conjugação verbal.
Vogal temática -a indica os verbos da 1.ª conjugação: falar.
Vogal temática -e indica os verbos da 2.ª conjugação: entender.
Vogal temática -i indica os verbos da 3.ª conjugação: dividir.

Nos nomes, as principais vogais temáticas são -a e -o, como em em livr-o e past-a. Os nomes terminados em consoante, como par, possuem a vogal temática -e, que é recuperada no plural (mar-e-s). Apenas as vogais finais átonas são vogais temáticas nominais. Os nomes terminados em vogal tônica, como café, não possuem vogal temática. 

Tema

Tema é o nome dado à junção do radical com a vogal temática. Nas palavras em que não há vogal temática, o tema e o radical estão representados no mesmo elemento.

Temas verbais:

  • fala (fala-r);
  • entende (entende-r);
  • dividi (dividi-r).

Temas nominais:

  • livro- (livro-s);
  • pasta- (pasta-s).

Desinências

As desinências são morfemas que indicam os tipos de flexão que uma palavra pode sofrer. Tal como as vogais temáticas, as desinências são chamadas de nominais quando se referem a nomes e de verbais quando se referem a verbos.

As desinências nominais indicam a possibilidade de flexão em gênero (feminino e masculino) e número (singular e plural):

  • A desinência nominal -o indica o masculino: amigo (amig-o).
  • A desinência nominal -a indica o feminino: amiga (amig-a).
  • A desinência nominal -s indica o plural: amigos (amig-o-s e amig-a-s).

As desinências verbais indicam a possibilidade de flexão em modo (indicativo, subjuntivo e imperativo), tempo (passado, presente e futuro), número (singular e plural) e pessoa (1.ª, 2.ª ou 3.ª pessoa gramatical).

Desinências verbais modo temporais:

  • As desinências -va e -ia indicam o pretérito imperfeito do indicativo: falava, corria.
  • A desinência -ra indica o pretérito mais-que-perfeito do indicativo: falara.
  • A desinência -ria indica o futuro do pretérito do indicativo: falaria.
  • A desinência -sse indica o pretérito imperfeito do subjuntivo: falasse.

Desinências verbais número pessoais:

  • A desinência -o indica a 1.ª pessoa do singular: falo.
  • A desinência -s indica a 2.ª pessoa do singular: falas.
  • A desinência -mos indica a 1.ª pessoa do plural: falamos.
  • A desinência -m indica a 3.ª pessoa do plural: falam.

Veja também outros exemplos de desinências nominais e verbais.

Afixos: prefixos e sufixos

Os prefixos aparecerem antes do radical das palavras.
Os sufixos aparecerem depois do radical das palavras.

Ambos promovem a alteração do sentido da palavra, formando uma noma palavra derivada.

Exemplos de prefixos:

  • desigual (des- + igual);
  • infeliz (in- + feliz);
  • refazer (re- + fazer).

Exemplos de sufixos:

  • caprichar (capricho + -ar);
  • normalmente (normal + -mente);
  • lavável (lavar + -ável).

Leia mais sobre prefixos e sufixos.

Vogais e consoantes de ligação 

Vogais e consoantes de ligação surgem na formação das palavras por razões fonéticas, ocorrendo entre dois morfemas. Não apresentam valor significativo. Estabelecem uma ligação entre dois radicais ou entre um radical e um sufixo, de forma a facilitar a pronúncia da palavra e evitar dissonâncias na junção dos morfemas.

Exemplos de vogais de ligação:

  • gasômetro (gás-ô-metro);
  • parisiense (Paris-i-ense).

Exemplos de consoantes de ligação:

  • chaleira (chá-l-eira);
  • cafezal (café-z-al).

Vogais e consoantes de ligação são também chamados de infixos.

Atenção!
Na junção dos morfemas, podem ocorrer omissões e alterações fônicas, como:

  • carteiro: cart(a) + eiro, com omissão da vogal a. 
  • cantávamos e cantáveis: alteração fônica de a para e por influência da vogal i.