A concordância verbal ocorre quando o verbo se flexiona em número e em pessoa para concordar com o sujeito gramatical.

A concordância verbal com os verbos dar, bater e soar pode ser estabelecida com o sujeito da oração ou com o numeral que indica as horas.

Concordância com o sujeito:
O relógio deu nove horas.

Concordância com o numeral:
Deram nove horas no relógio.

Concordância verbal feita com o sujeito

A concordância verbal pode ser feita em número e pessoa com a palavra relógio, que é o sujeito da oração. Existem outros possíveis sujeitos, como o sino, o campanário, a torre.

  • O relógio soou a meia-noite.
  • Os relógios soaram a meia-noite.
  • O sino deu oito badaladas.
  • Os sinos deram oito badaladas.
  • O campanário da igreja bateu doze badaladas.
  • Os campanários das igrejas bateram doze badaladas.

Concordância verbal feita com o numeral

A concordância verbal pode também ser feita com o numeral, uma vez que o destaque é dado ao verbo e o substantivo aparece depois de uma preposição (em, na, no), não assumindo a função de sujeito da oração.

  • Deu uma hora no relógio.
  • Deram sete horas no relógio.
  • Bateu uma badalada no sino da igreja.
  • Bateram seis badaladas no sino da igreja.
  • Soou uma badalada no relógio da sala.
  • Soaram doze badaladas no relógio da sala.

Ver também: Outros casos de concordância verbal.

Atualizado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.