A assonância é caracterizada pela repetição harmônica de sons vocálicos. Essa repetição é feita maioritariamente na poesia, podendo aparecer também em pequenas frases na prosa. Habitualmente, são destacadas as sílabas tônicas das palavras, marcando uma regularidade vocálica ao longo do verso ou salientando a palavra final de verso, através da criação de rimas toantes. A assonância contribui, assim, para a melodia e musicalidade dos poemas.

Exemplos:

  • A pálida lágrima da Flávia.
  • A boa boca da moça.
  • O cálamo e o plátano, na floresta moderna.

A assonância é frequentemente utilizada em conjunto com a aliteração (repetição de sons consonantais), contribuindo assim para a definição do ritmo do verso.

Exemplos:

  • “Na messe, que enlourece, estremece a quermesse...” (Eugênio de Castro)
  • “Berro pelo aterro/Pelo desterro/Berro por seu berro/Pelo seu erro” (Caetano Veloso)

Fique sabendo mais!
Assonância tem sua origem na palavra em latim assonans, que pode indicar o ato de produzir som, ou seja, soar, ressoar, ecoar.

Atualizado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.