A nomenclatura gênero épico tem sofrido alterações ao longo dos anos. Atualmente, privilegia-se a substituição da nomenclatura gênero épico para gênero narrativo, considerada mais atual.

Neste gênero, é feita a narração de uma história através de uma sequência de várias ações reais ou imaginárias. Essa sucessão de acontecimentos é contada por um narrador e está estruturada em introdução, desenvolvimento e conclusão. Ao longo dessa estrutura narrativa são apresentados os principais elementos da narração: espaço, tempo, personagem, enredo e narrador.

Características do gênero narrativo

  • É escrito maioritariamente em prosa;
  • A ação é contada por um narrador;
  • Ocorre a narração de uma sucessão de acontecimentos reais ou imaginários;
  • Apresenta a estrutura básica de introdução, desenvolvimento e conclusão;
  • A ação se desenrola num tempo e num espaço;
  • Pode ser utilizado um discurso direto, indireto ou indireto livre.

Subgêneros do gênero narrativo

Romance: Narrativa em prosa, extensa e complexa, sobre personagens fictícias que vivenciam acontecimentos imaginários num determinado espaço e tempo. Além de relatar aventuras, os romances habitualmente traçam perfis psicológicos de personagens, caracterizam uma época e criticam costumes sociais.

Novela: Narrativa em prosa mais breve do que o romance e mais extensa do que o conto. Normalmente, apresenta o desenvolvimento sequencial de vários enredos interligados, sendo uma narração dinâmica.

Conto: Narrativa em prosa mais breve do que o romance e a novela, cujo enredo é intenso e rápido, ocorrendo uma ou poucas ações, vivenciadas num curto espaço de tempo por poucas personagens, que são superficialmente caracterizadas.

Epopeia ou poesia épica: Narrativa em verso, extensa e complexa, sobre atos heroicos de uma personagem ou conjunto de personagens em acontecimentos extraordinários, dignos de serem imortalizados.

Fábula: Narrativa em verso ou em prosa sobre personagens e fatos fantásticos. Apresenta duas características marcantes: ser protagonizada principalmente por animais e ter como finalidade transmitir uma lição de moral, possuindo um cunho educativo.

Crônica: Narrativa em prosa, sucinta e informal, que aborda temas simples e cotidianos. Faz uma crítica a acontecimentos do dia a dia, recorrendo ao humor. Tem como objetivo analisar e criticar a realidade social, política ou cultural. Dos textos literários é o que mais se aproxima do texto jornalístico.

Ensaio: Narrativa breve e impessoal, em prosa, cuja finalidade é apresentar ideias, críticas, reflexões e pontos de vista sobre um assunto. Possui um cunho didático.

Gênero épico e gênero narrativo: qual a diferença?

A divisão clássica, que remonta à Grécia antiga, define três gêneros literários: gênero épico, gênero lírico e gênero dramático.

O gênero épico era então entendido como extensas narrativas que contavam feitos grandiosos de um herói ou de um povo, imortalizando os acontecimentos narrados, visto serem de interesse mundial, como a fundação de cidades, a descobertas de novas terras, a conquista territorial,...

Usavam uma linguagem elaborada e narravam os acontecimentos de uma forma extraordinária e sobrenatural, com a presença de personagens mitológicas que participavam no desenrolar dos acontecimentos. Muitas dessas narrativas foram feitas em verso - os chamados poemas épicos.

Com o decorrer do tempo e a evolução das sociedades, os poemas épicos foram, aos poucos, caindo em desuso, sendo substituídos por extensas narrativas em prosa - os romances.

Presentemente, privilegia-se a substituição do gênero épico pelo gênero narrativo, mais abrangente e atual. Os textos épicos passaram então a ser encarados como uma subdivisão do gênero narrativo, sendo mais usada atualmente a seguinte divisão: gênero narrativo, gênero lírico e gênero dramático.