Gêneros literários são divisões feitas de acordo com características formais comuns em obras literárias, agrupando-as segundo critérios estruturais, contextuais e semânticos, entre outros.

A divisão clássica remonta à Grécia antiga e define três gêneros literários:

Esta classificação de gêneros literários sofreu algumas alterações ao longo dos anos e é entendida, atualmente, como sendo flexível, sendo possível a mistura de gêneros e a subdivisão em vários subgêneros.

Presentemente, privilegia-se a substituição do gênero épico pelo gênero narrativo, mais abrangente e atual. Os textos épicos passaram então a ser encarados como uma subdivisão do gênero narrativo. Privilegia-se, dessa forma, a seguinte divisão:

Dentro de um determinado gênero literário há o predomínio de uma estrutura típica, que não corresponde à estrutura de outro gênero literário, visto que cada um apresenta características próprias.

Há, contudo, uma característica comum aos três gêneros: a literatura. Sendo gêneros literários, apresentam aspectos comuns que definem a literatura como uma expressão artística que possui funções recreativas, sociais e críticas. Assim, não só ocorre a manifestação de sentimentos e invenção de histórias por parte do autor, como também ocorre a crítica à sociedade e há referências a momentos históricos.

O texto literário, quer ocorra em verso ou em prosa, transmite a noção artística do autor, que trabalha com a função conotativa da linguagem, que utiliza uma linguagem mais poética e rebuscada, recorrendo ao uso de figuras de linguagem e que respeita estruturas no estilo e forma, como a métrica e a rima. O autor debruça-se sobre a seleção e combinação de palavras, para que transmitam o sentido pretendido, contribuindo para a concretização da intenção do autor.