Uma redundância é uma repetição desnecessária de ideias, também chamada de pleonasmo vicioso ou tautologia. 

As redundâncias são usadas frequentemente em linguagem cotidiana, mas são um vício de linguagem, contribuindo para o empobrecimento do discurso.

Exemplos de redundâncias

  • Eu vi que os alunos entraram para dentro da escola.
  • Teremos que adiar o evento para depois por causa da chuva.
  • Você não vai preparar a entrevista antecipadamente?
  • Eu tenho a certeza absoluta do que estou dizendo!
  • Está na hora de seguir em frente.
  • Eles estão dando sorvetes de graça.
  • Eu juro que isso é verdadinha verdadeira!

Expressões redundantes

Existem diversas expressões redundantes na língua portuguesa:

  • Descer para baixo;
  • Subir para cima;
  • Certeza absoluta;
  • Conclusão final;
  • Consenso geral;
  • Monopólio exclusivo;
  • Protagonista principal;
  • Junto com;
  • Voltar atrás;
  • Gritar alto;
  • Si mesmo;
  • ...

Veja aqui uma lista dos pleonasmos viciosos mais comuns.

Como evitar as redundâncias

Os vícios de linguagem ocorrem, maioritariamente, devido a um deficitário conhecimento dos significados das palavras e por falta de atenção durante o processo de comunicação.

Para evitar o uso de vícios de linguagem, mais especificamente de redundâncias, o primeiro passo será conhecê-las e entender o motivo de serem consideradas expressões redundantes. É importante que se reflita sobre as palavras que utilizamos diariamente e no significado que transmitem.

Conheça também outros vícios de linguagem.

Publicado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.