O polissíndeto é uma figura de linguagem, ou seja, um recurso utilizado na linguagem oral e escrita que aumenta a expressividade da mensagem. O polissíndeto se refere ao uso excessivo e repetitivo de conjunções entre palavras e orações. As conjunções mais frequentemente repetidas são as conjunções coordenativas e, nem, ou.

Além de aumentar a expressividade da mensagem, através do polissíndeto é possível transmitir uma ideia de acréscimo, acumulação, sucessão e continuidade, ao mesmo tempo que torna o discurso mais lento e compassado e ao mesmo tempo solene e enfático.

Exemplos de polissíndeto:

  • Quem me dera viver livremente e rir, e passear, e dançar, e cantar, e me divertir, e sair pelo mundo.
  • Não entendo minha filha: ou chora, ou grita, ou reclama, ou se entristece, ou se chateia, parece que nunca está bem.
  • Meu filho não quer trabalhar, nem estudar, nem ser autônomo, nem ser independente.

Exemplos de polissíndeto na literatura:

  • “Vão chegando as burguesinhas pobres/e as crianças das burguesinhas ricas/e as mulheres do povo, e as lavadeiras da redondeza.” (Manuel Bandeira)
  • “Há dois dias meu telefone não fala, nem ouve, nem toca, nem tuge, nem muge.” (Rubem Braga)
  • “Canto, e canto o presente, e também o passado e o futuro.” (Fernando Pessoa)
  • “Falta-lhe o solo aos pés: recua e corre, vacila e grita, luta e ensanguenta, e rola, e tomba, e se espedaça,e morre.” (Olavo Bilac)
  • “(…) e os desenrolamentos, e os incêndios, e a fome, e a sede; e dez meses de combates, e cem dias de cancioneiro contínuo; e o esmagamento das ruínas..." (Euclides da Cunha)

Fique sabendo mais!
- Polissíndeto tem sua origem na palavra grega polysýndeton e indica a ligação e união de vários elementos.
- O uso do polissíndeto possibilita a criação de orações coordenadas sindéticas, ou seja, orações que estão ligadas através de conjunções coordenativas. Mediante as conjunções usadas, as orações coordenativas sindéticas podem ser classificadas em aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas.

Atenção!
A figura de linguagem contrária ao polissíndeto é o assíndeto.

Atualizado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.