A metonímia é uma figura de linguagem. Consiste na substituição de palavras com sentidos próximos, ou seja, é utilizada uma palavra em vez de outra, sendo que ambas partilham uma relação de proximidade ou contiguidade de sentido.

Exemplos de metonímia

  • Perdi minha gilete!
  • Bebi dois copos de água para matar a sede.
  • Todos os anos, nas férias, leio Cecília Meireles.

Assim, a metonímia é uma figura de palavra, em que ocorre a substituição de palavras, enfatizando o seu sentido figurado e o aspecto semântico da linguagem.

Metonímia na literatura e imprensa

  • “E o médico veio de Chevrolé” (Oswaldo de Andrade)
  • “Trabalhava ao piano, não só Chopin como ainda os estudos de Czerny.” (Murilo Mendes)
  • “Entretanto a cidade, que durante uns dois ou três dias parecia nos haver esquecido, voltava subitamente a atacar.” (Rubem Braga)
  • “No cinema, só quem fala são os atores do filme. Nós calamos para que eles possam falar. Nossa vida cala para que outra fale.” (Eliane Brum)
  • “A nuvem carregada, espanto do marujo” (Victor Hugo)

Como qualquer figura de linguagem, a metonímia é um recurso utilizado na linguagem oral e escrita que aumenta a ênfase e a expressividade da mensagem, evitando a repetição de palavras em textos, ao mesmo tempo que permite a redução de expressões extensas.

Tipos de metonímia

1. O efeito pela causa (ou a causa pelo efeito)
Não respeitam nada, nem ninguém. Não respeitam meus cabelos brancos. (idade avançada)

2. A parte pelo todo (ou o todo pela parte)
Vou sair de casa de meus pais e ter meu próprio teto. (casa)

3. O autor pela obra
Estou lendo Jorge Amado. (um livro de Jorge Amado)

4. O concreto pelo abstrato (ou o abstrato pelo concreto)
Qual será o futuro da humanidade? (dos seres humanos)

5. A marca pelo produto
Vou pedir à empregada para arear essas panelas com bombril. (esponja de aço)

6. O singular pelo plural
O aluno deverá manter o silêncio na biblioteca. (todos os alunos)

7. O continente pelo conteúdo
Meu filho comeu um prato de arroz com feijão e bebeu um copo de groselha. (o arroz com feijão que estava no prato e a groselha que estava no copo)

8. A classe pelo indivíduo (ou o indivíduo pela classe)
Quanto mais o Homem constrói, mais o Homem destrói. (os seres humanos)

9. O instrumento pelo utilizador
Os computadores trabalhavam incessantemente, dia e noite. (os informáticos)

10. A matéria pelo objeto
Usou todo o ouro que tinha para impressionar os convidados. (as joias de ouro)

11. O sinal pela coisa significada
A coroa espanhola está sendo comentada nas redes sociais. (a família real espanhola)

12. O proprietário pela propriedade
Vou ao veterinário com minha cadela. (ao consultório do veterinário)

13. O lugar pelo produto
Vamos beber um Porto? (vinho do Porto)

Metonímia e metáfora: qual é a diferença?

Apesar de serem frequentemente confundidas, a metonímia e a metáfora são duas figuras de linguagem diferentes.

Na metonímia…

  • ocorre uma substituição.
  • há uma relação de dependência e contiguidade entre os sentidos dos termos, independentemente do falante.

Na metáfora…

  • ocorre uma comparação.
  • há uma associação de ideias entre os termos, feita pelo falante, dependendo dele.

Metonímia: Vou beber um balde de água fria para matar minha sede.
Metáfora: Essa notícia foi um balde de água fria.

Saiba tudo sobre metáfora.

Metonímia e sinédoque: qual é a diferença?

Muito semelhante à metonímia, a sinédoque é considerada por diversos autores como sendo um tipo de metonímia. Alguns afirmam ainda ser desnecessária a distinção entre os dois termos, visto serem conceitos tão próximos.

Na sinédoque também ocorre a substituição de um termo por outro, mas há uma redução ou ampliação do sentido desse termo, sendo uma relação desigual. Isso ocorre quando há as seguintes substituições:

  • A parte pelo todo (ou o todo pela parte);
  • A classe pelo indivíduo (ou o indivíduo pela classe);
  • O singular pelo plural (ou o plural pelo singular).

Leia mais sobre a sinédoque.

Fique sabendo mais!
Metonímia tem sua origem na palavra grega metonymía, que significa mudança de nome.

Figuras de linguagem

Figuras de linguagem são recursos estilísticos utilizados na linguagem oral e escrita que aumentam a expressividade da mensagem. Estão subdivididas em: figuras de palavra, figuras de construção, figuras de pensamento e figuras de som.

Figuras de palavras Alegoria, perífrase ou antonomásia, catacrese, comparação ou símile, metáfora, metonímia, sinédoque, sinestesia.
Figuras de construção Anacoluto, anáfora, anástrofe ou inversão, hipérbato, sínquise, assíndeto, polissíndeto, elipse, zeugma, silepse, hipálage, pleonasmo ou redundância.
Figuras de pensamento Antítese, apóstrofe, eufemismo, gradação ou clímax, hipérbole, ironia, paradoxo ou oxímoro, prosopopeia ou personificação.
Figuras de som Aliteração, assonância, onomatopeia, paronomásia.

Conheça, de forma pormenorizada, todas as figuras de linguagem.

Atualizado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.