São chamadas de formas variantes ou formas gráficas variantes as palavras que apresentam mais do que uma grafia correta, sem que haja alteração no sentido.

Apesar de haver sempre uma forma preferencial, mais socialmente aceita e mais usada pelos falantes, todas as formas são corretas e podem ser usadas sem hesitação.

Exemplos de formas variantes

  • abdome e abdômen;
  • afeminado e efeminado; 
  • aluguel e aluguer; 
  • amídala e amígdala; 
  • aquarela e aguarela;    
  • arrebentar e rebentar; 
  • assobiar e assoviar; 
  • assoprar e soprar; 
  • azálea e azaleia; 
  • bêbado e bêbedo; 
  • bilhão e bilião;  
  • cãibra e câimbra; 
  • câmera e câmara;
  • caminhão e camião;
  • carroçaria e carroceria; 
  • catorze e quatorze; 
  • catucar e cutucar; 
  • chipanzé e chimpanzé; 
  • cobarde e covarde; 
  • cociente e quociente; 
  • contato e contacto;
  • cota e quota; 
  • cotidiano e quotidiano; 
  • debulhar e desbulhar;
  • degelar e desgelar; 
  • delapidar e dilapidar;
  • demonstrar e demostrar;
  • descarrilhar ou descarrilar;
  • dezenove e dezanove;
  • dezesseis e dezasseis;
  • dezessete e dezassete;
  • diabete e diabetes;
  • dourado e doirado;
  • embaralhar e baralhar;
  • enfarte e infarto; 
  • entonação e entoação;  
  • entretenimento e entretimento;
  • espargos e aspargos;
  • estalar e estralar;
  • este e leste;
  • geringonça e gerigonça;
  • germe e gérmen; 
  • hidrelétrico e hidroelétrico; 
  • homilia e homília;
  • imundícia, imundície e imundice;
  • intrincado e intricado; 
  • louça e loiça;
  • louro e loiro; 
  • maquiagem e maquilagem; 
  • marimbondo e maribondo;
  • mobiliar, mobilhar e mobilar;
  • neblina e nebrina; 
  • nenê e neném;
  • percentagem e porcentagem; 
  • projétil e projetil;
  • rastro e rasto;
  • registro e registo;
  • relampear e relampejar;
  • remoinho e redemoinho; 
  • selvageria e selvajaria; 
  • sobressalente e sobresselente; 
  • súdito e súbdito;
  • surrupiar e surripiar; 
  • taberna e taverna; 
  • terremoto e terramoto;
  • tesouro e tesoiro;
  • tríade e tríada;
  • xérox e xerox.
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.