Classificação dos verbos

Existem vários tipos de classificação dos verbos:

Verbos regulares: Verbos que se encaixam nos modelos fixos de conjugação verbal, não provocando alterações nos radicais e nas terminações quando conjugados.

Exemplos: cantar, amar, vender, prender, partir, abrir,…

  • Eu abro a porta.
  • Eu canto muito mal!

Verbos irregulares: Verbos que não se encaixam nos modelos fixos de conjugação verbal, possuindo alterações nos radicais e nas terminações quando conjugados

Exemplos: medir, fazer, ouvir, haver, poder, crer,…

  • Eu meço 1,53 m.
  • Eu posso experimentar?

Verbos anômalos: Verbos que apresentam diferentes radicais quanto conjugados.

Exemplos: ser (eu sou, eu fui, eu era,…) e ir (eu vou, eu fui, eu irei,…).

  • Eu sou adulta.
  • Eu fui criança.

Verbos defectivos: Verbos que não apresentam conjugações completas. Existem três tipos de verbos defectivos: pessoais, impessoais e unipessoais.

- Verbos defectivos pessoais: verbos que não são conjugados em todas as pessoas verbais, devido a fatores de morfológicos, semânticos ou fonéticos.

Exemplos: falir, banir, reaver, colorir, demolir, adequar,…

  • Nós banimos os refrigerantes de nossa alimentação.
  • A máquina demole o edifício.

Verbo reaver – presente do indicativo:
Eu ---
Tu ---
Ele ---
Nós reavemos
Vós reaveis
Eles ---

Verbo demolir – presente do indicativo:
Eu ---
Tu demoles
Ele demole
Nós demolimos
Vós demolis
Eles demolem

- Verbos defectivos impessoais: Verbos que não apresentam sujeito, sendo conjugados sempre na 3.ª pessoa do singular. Os principais verbos impessoais são: o verbo haver, com sentido de existir; o verbo fazer, indicando tempo decorrido; verbos que indicam fenômenos atmosférico e da natureza, como os verbos chover, nevar, ventar, anoitecer, escurecer,…

Exemplos:

  • Havia várias crianças correndo no parque.
  • Faz duas horas que estou esperando você!
  • Todos os dias chove no fim da tarde.

- Verbos defectivos unipessoais: Verbos que apresentam sujeito, mas que são conjugados apenas na 3.ª pessoa do singular e na 3.ª pessoa do plural. Os principais verbos unipessoais são: verbos relacionados com as vozes dos animais: latir, miar, cacarejar, mugir,…; verbos que, na 3.ª pessoa do singular, se relacionam com um sujeito representado por uma oração: convir, custar, acontecer,…

Exemplos:

  • O cachorro latia sem parar.
  • Os gatos miaram durante a noite.
  • Custa ir trabalhar depois do fim de semana.

Verbos abundantes: Verbos que possuem duas formas equivalentes no particípio, ou seja, particípio duplo com uma forma regular e outra irregular.
Infinitivo: aceitar, ganhar, pagar, morrer, extinguir,…
Particípio regular: aceitado, ganhado, pagado, morrido, extinguido,…
Particípio irregular: aceito, ganho, pago, morto, extinto,…

Exemplos:

  • Eu pensei que ele já tinha ganhado juízo.
  • Este jogo já está ganho!

Verbos principais: São verbos que, sozinhos, transmitem a totalidade da ação verbal.

Exemplos: comer, dançar, saltar, escorregar, sorrir, rir,…

  • O bebê sorriu pela primeira vez.
  • Ontem dancei muito!

Verbos auxiliares: São verbos que se juntam às formas nominais de um verbo principal, indicando o tempo, o modo, o número e a pessoa da ação verbal. São usados nos tempos compostos e nas locuções verbais. Os principais verbos auxiliares são: ser, estar, ter, haver e ir.

Exemplos:

  • Já estou chegando!
  • Desculpe, mas hei de chegar atrasada.
  • Àquela hora ele já tinha chegado.

Verbos de ligação: Verbos que ligam uma característica ao sujeito, indicando um estado. São também chamados de verbos não nocionais ou copulativos. Não são significativos, nem indicam uma ação realizada, não sendo o núcleo do predicado.

Exemplos: ser, estar, parecer, ficar, tornar-se, continuar, andar e permanecer.

  • Eu sou estudiosa.
  • Mariana parece ansiosa.

Verbos pronominais: Verbos conjugados com os pronomes oblíquos átonos me, te, se, nos, vos, se. Existem dois tipos de verbos pronominais: essenciais e acidentais.

- Verbos pronominais essenciais: Verbos cujo radical já transmite uma ideia de reflexibilidade, havendo apenas reforço dessa reflexibilidade através do uso dos pronomes oblíquos átonos. A ação reflexiva recai sempre sobre o próprio.

Exemplos: arrepender-se, suicidar-se, zangar-se, queixar-se, abster-se, dignar-se,…

  • O pai se arrependeu de não ter ido ao jogo de futebol do filho.
  • Eu me queixei da má atitude da funcionária daquela loja.

- Verbos pronominais acidentais: Verbos cujo radical não transmite uma ideia de reflexibilidade. A reflexibilidade do verbo é transmitida através do uso dos pronomes oblíquos átonos, apenas em alguns contextos, podendo o verbo ser usado sem os pronomes oblíquos átonos. Além disso, a ação reflexiva pode recair sobre o próprio ou sobre outra pessoa.

Exemplos: pentear/pentear-se, sentar/sentar-se, enganar/enganar-se, debater/debater-se,…

  • Minha mãe se sentou na cadeira.
  • Minha mãe me sentou na cadeira.
  • Minha mãe sentou o bebê na cadeira.

Veja também