Regência verbal é a relação que existe entre os verbos e os termos da oração que os complementam (objeto direto e objeto indireto), bem como os termos acessórios da oração que os caraterizam (adjunto adverbial).

O objeto direto e o objeto indireto fazem parte dos complementos verbais das frases, completando o sentido de verbos transitivos diretos e indiretos que, sozinhos, possuem significado incompleto.

O objeto direto completa o sentido de um verbo transitivo direto, sem a presença obrigatória de uma preposição. Indica o paciente da ação verbal, ou seja, o elemento que sofre a ação verbal. Verbos transitivos diretos são verbos que necessitam de um complemento que complete seu sentido, respondendo principalmente às perguntas o quê? ou quem?. Não necessitam de preposição para estabelecer regência verbal.

O objeto indireto completa o sentido de um verbo transitivo indireto, com a presença obrigatória de uma preposição. Indica o paciente da ação verbal, ou seja, o elemento ao qual se destina a ação verbal. Verbos transitivos indiretos são verbos que necessitam de um complemento que complete seu sentido, respondendo principalmente às perguntas de quê? para quê? de quem? para quem? em quem?, entre outras. Necessitam obrigatoriamente de preposição para estabelecer regência verbal.

Regência verbal com verbos transitivos diretos (sem preposição):

  • Mariana comeu o quibe.
  • Mirim esperava a irmã.

Regência verbal com verbos transitivos indiretos (com preposição):

  • Eu duvidei da opinião do garoto.
  • O aluno respondeu à pergunta da professora.

Há ainda verbos que podem ser transitivos diretos e transitivos indiretos, tendo um sentido quando exigem preposição e outro sentido quando não exigem preposição.

Exemplo com verbo querer (transitivo direto e transitivo indireto):

  • Verbo transitivo direto (com sentido de desejar): Eu quero uns patins novos. 
  • Verbo transitivo indireto (com sentido de gostar, querer bem): Eu quero a meu irmão. 

Exemplos de verbos que exigem preposição para regência verbal

Verbos chegar, ir e voltar + a, + de, + para: quando indicam destino ou direção (ir a, ir de, ir para, voltar a, voltar de, voltar para, chegar a, chegar de, chegar para).
ir a: Fui à feira comprar melancia.
voltar para: Voltei para Pernambuco.
chegar de: Cheguei da escola ao meio-dia.

Verbo comparecer + a, + em: quando indica local (comparecer a ou comparecer em).
Comparecer a: Compareci ao escritório no domingo para resolver um problema.

Verbo assistir + a: quando significa ver ou presenciar (assistir a).
Assistir a: Meus vizinhos assistiram ao acidente e ficaram muito perturbados.

Verbo aspirar + a: quando significa desejar, pretender, ambicionar (aspirar a).
Aspirar a: Mariana aspira ao papel principal naquela peça.

Verbo visar + a: quando significa desejar, pretender, ambicionar (visar a).
Visar a:Mariana visa ao papel principal naquela peça.

Verbos esquecer-se e lembrar-se + de: quando verbos pronominais (esquecer-se de, lembrar-se de).
Esquecer-se de: Não me esqueci de seu aniversário.
Lembrar-se de: Não me lembrei de seu aniversário.

Verbo preferir + a: quando se prefere algo a alguma coisa (preferir a).
Preferir a: Eu prefiro suco de melão a suco de laranja.

Verbos implicar e simpatizar + com: quando se referem a simpatizar ou antipatizar com alguém, bem como incomodar (implicar com, simpatizar com).
Implicar com: Pare de implicar com meu filho!
Simpatizar com: Nunca simpatizei com ela.

Verbo querer + a: quando tem sentido de estimar, de querer bem (querer a).
Querer a: Quero muito a minha filha.

Verbo obedecer + a: quando se obedece a alguém ou a alguma coisa (obedecer a).
Obedecer a: Aquele aluno nunca obedece à professora.

Verbo responder + a: quando se responde a alguém ou a alguma coisa (responde a).
Responder a: Pedro não soube responder ao que lhe foi perguntado.

Verbo agradar + a: quando significa contentar, satisfazer (agradar a).
Agradar a: O serviço realizado agradou ao diretor da empresa.

Verbos avisar, comunicar, advertir, prevenir,… + a: com sentido de informar com antecedência (avisar a, comunicar a, advertir a, prevenir a,…).
Avisar a: Avisei ao diretor que os funcionários estão descontentes.
Comunicar a: Comuniquei ao diretor que os funcionários estão descontentes.
Advertir a: Adverti ao diretor que os funcionários estão descontentes.
Prevenir a: Preveni ao diretor que os funcionários estão descontentes.

Verbo perdoar + a: quando se perdoa a uma pessoa, não uma coisa (perdoar a).
Perdoar a: Nunca perdoarei a minha mãe por me ter abandonado.

Verbo pagar + a: quando se paga a uma pessoa, não uma coisa (pagar a).
Pagar a: Pagou ao empregado o que lhe devia, antes de o despedir.

Verbos morar e residir + em: quando indica local (morar em, residir em).
Morar em: Meu irmão mora em Londres há três anos.
Residir em: Meu irmão reside em Londres há três anos.

Verbo proceder + a: com sentido de realizar, dar início (proceder a).
Proceder a: Procederemos à destruição das peças defeituosas.

Outros verbos que exigem preposição para regência verbal

Para estabelecer regência verbal, as preposições mais utilizadas são: a, de, com, em, para, por, sobre.

Exemplos de regência verbal com a preposição a:

  • deitar-se a;
  • habituar-se a;
  • imputar a;
  • obrigar a;
  • pertencer a;
  • referir-se a;
  • sobreviver a;
  • sujeitar-se a;
  • vedar a.

Exemplos de regência verbal com a preposição de:

  • constar de;
  • excluir de;
  • libertar de;
  • matizar de;
  • morrer de;
  • precaver-se de;
  • tremer de;
  • vangloriar-se de;
  • vingar-se de.

Exemplos de regência verbal com a preposição com:

  • comungar com;
  • encontrar-se com;
  • guarnecer com;
  • indignar-se com;
  • parecer com;
  • sonhar com;
  • tapar com;
  • uniformizar com;
  • zangar-se com.

Exemplos de regência verbal com a preposição em:

  • apoiar-se em;
  • avaliar em;
  • concentrar em;
  • continuar em;
  • incorrer em;
  • participar em;
  • teimar em;
  • transformar em;
  • viciar-se em.

Exemplos de regência verbal com a preposição para:

  • convidar para;
  • convocar para;
  • desafiar para;
  • ensaiar para;
  • esforçar-se para;
  • habilitar para;
  • propender para.

Exemplos de regência verbal com a preposição por:

  • ansiar por;
  • apaixonar-se por;
  • chorar por;
  • começar por;
  • interessar-se por;
  • orar por;
  • regular-se por;
  • rogar por;
  • trocar por.

Exemplos de regência verbal com a preposição sobre:

  • alertar sobre;
  • cair sobre;
  • meditar sobre;
  • prevalecer sobre;
  • recair sobre.

Contração e combinação de preposições

Na regência verbal, as preposições podem aparecer de forma contraída ou combinada com artigos e pronomes:

  • a + a = à
  • a + o = ao
  • a + aquele = àquele
  • a + onde = aonde
  • de + o = do
  • de + uma = duma
  • de + isto = disto
  • em + as = nas
  • em + um = num
  • em + essa = nessa
  • por + o = pelo
  • por + as = pelas

Regência verbal e regência nominal

Enquanto na regência verbal o termo regente é um verbo, na regência nominal o termo regente é um nome.

Assim, a regência nominal é a relação que um nome (substantivo, adjetivo, advérbio) estabelece com o seu complemento (complemento nominal) através de uma preposição.

Veja também: Exemplos de regência nominal.