Orações coordenadas

A classificação em oração coordenada surge quando um determinado período é composto, sendo formado por duas ou mais orações. Orações coordenadas são orações que estão ligadas uma à outra apenas pelo sentido, sendo sintaticamente independentes. Ligam-se através de conjunções ou de vírgulas, podendo ser entendidas separadamente, sem que se perca o sentido individual de cada oração.

Exemplo: O aluno acordou cedo e começou a estudar.
Sentido individual de cada oração:O aluno acordou cedo.O aluno começou a estudar.

Orações coordenadas assindéticas e sindéticas

Orações coordenadas assindéticas são orações que não estão ligadas através de conjunções, mas sim através de uma pausa, normalmente simbolizada pela vírgula.

Exemplo: Meu filho não quer trabalhar, estudar, ser independente.

Orações coordenadas sindéticas são orações que estão ligadas através de conjunções, chamadas conjunções coordenativas. Mediante as conjunções usadas, as orações coordenativas sindéticas podem ser classificadas em aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas.

Exemplo: Meu filho quer trabalhar e estudar, porque quer ser independente.

Tipos de orações coordenadas sindéticas

Oração coordenada sindética aditiva: transmite uma ideia de adição à oração anterior. São utilizadas conjunções coordenativas aditivas ou locuções conjuncionais coordenativas aditivas: e, nem, também, bem como, não só...mas também, não só...como também, tanto…como, não só…mas ainda, não só...bem como, assim...como, etc.

Exemplos:

  • Eu e meu namorado jantamos fora e fomos ao cinema.
  • Não só foi descortês, como também culpou quem estava inocente.
  • Não gostava de jogar futebol nem de andar de bicicleta.

Oração coordenada sindética adversativa: transmite uma ideia de oposição à oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas antes das orações coordenadas sindéticas adversativas. São utilizadas conjunções coordenativas adversativas ou locuções conjuncionais coordenativas adversativas: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante, nada obstante, antes, ainda assim, etc.

Exemplos:

  • Eu queria ir à festa, mas minha mãe não deixou.
  • Gostava de ter sido aeromoça, contudo não tive essa oportunidade.

Oração coordenada sindética alternativa: transmite uma ideia de alternância em relação à oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas entre orações coordenadas sindéticas alternativas. Caso haja apenas uma oração coordenada sindética alternativa o uso da vírgula é opcional. São utilizadas conjunções coordenativas alternativas ou locuções conjuncionais coordenativas alternativas: ou, ou...ou, já…já, ora...ora, quer...quer, seja...seja, nem…nem, etc.

Exemplos:

  • Faça o que o juiz manda ou irá preso.
  • Ora você gosta de mim, ora não gosta.
  • Quer festeje hoje, quer festeje amanhã, não irei ao seu aniversário.

Oração coordenada sindética conclusiva: transmite a conclusão de uma ideia expressa na oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas antes das orações coordenadas sindéticas conclusivas. São utilizadas conjunções coordenativas conclusivas ou locuções conjuncionais coordenativas conclusivas: logo, pois, portanto, assim, por isso, por consequência, por conseguinte, consequentemente, de modo que, desse modo, então, etc.

Exemplo:

  • Reprovei na quinta série, portanto não seremos mais da mesma turma.
  • Ela fez um belíssimo trabalho, por isso será contratada novamente.
  • Nós presenciamos o acidente; seremos, pois, chamados para depor.

Oração coordenada sindética explicativa: transmite a explicação de uma ideia expressa na oração anterior. É obrigatório o uso de vírgulas antes das orações coordenadas sindéticas explicativas. São utilizadas conjunções coordenativas explicativas ou locuções conjuncionais coordenativas explicativas: que, porque, porquanto, pois, na verdade, isto é, ou seja, a saber, etc.

Exemplos:

  • Não consegui ir trabalhar hoje, pois estava tudo alagado.
  • Sai cedo da festa, porque precisava dormir.

Veja também