Paradoxo é uma figura de linguagem caracterizada pela associação de conceitos contraditórios na representação de uma só ideia. Embora esses conceitos contraditórios possam parecer ilógicos, acabam formando uma unidade semântica aceitável, passível de ser real.

Enquanto figura de linguagem, é um recurso utilizado na linguagem oral e escrita que aumenta a expressividade da mensagem, representando o ilógico, o absurdo, o impossível e a falta de nexo. É um recurso muito útil para expressar ironia e sarcasmo.

Exemplos de paradoxo:

  • Minha irmã vive no mundo da lua, passa os dias sonhando acordada.
  • Mesmo sendo inteligente, se você não tiver uma mente aberta, viverá para sempre numa sábia ignorância.
  • Coitada da pobre menina rica, sempre mimada e paparicada.
  • Alegria é assunto sério, devendo ser tratado com o devido respeito!
  • Sentir uma doce dor nos dedos dos pés me permite acreditar que em breve andarei novamente.


Exemplos de paradoxo na literatura e música:

  • “É ferida que dói e não se sente./É um contentamento descontente.” (Luís de Camões)
  • “Sendo a sua liberdade/Era a sua escravidão.” (Vinicius de Moraes)
  • “Estou cego e vejo./Arranco os olhos e vejo.” (Carlos Drummond de Andrade)
  • "Já estou cheio de me sentir vazio." (Renato Russo)
  • “Se você quiser me prender,/vai ter que saber me soltar.” (Caetano Veloso)

Paradoxo x antítese

O paradoxo se difere da antítese porque no paradoxo os termos contraditórios se referem à mesma ideia e na antítese os termos contraditórios se referem a ideias distintas.

Exemplos de antíteses:

  • Alegria e tristeza são duas constantes da vida.
  • Todos os dias, os médicos lidam com a vida e a morte.

Fique sabendo mais!
- Paradoxo tem sua origem na palavra em latim paradoxum, pelo grego parádoxos, significando algo que é oposto à opinião geral e contrário ao esperado, sendo extraordinário e surpreendente.
- Alguns autores defendem que as palavras oxímoro, oximoro ou oximóron são termos mais corretos do que paradoxo, visto serem vocábulos da área da linguística, enquanto paradoxo é um vocábulo da área da filosofia.

Publicado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.