A hipérbole é uma figura de linguagem, ou seja, um recurso utilizado na linguagem oral e escrita que aumenta a expressividade da mensagem. A hipérbole se refere à utilização de palavras e expressões que exageram grandemente a realidade, enfatizando uma ideia. Essa exageração da realidade tem como finalidade expressiva destacar, intensificar ou enfatizar um sentimento ou ação, ocorrendo predominantemente por excesso.

Muito utilizada na linguagem corrente, a hipérbole é também muito usada na propaganda para dar ênfase a um produto ou a um serviço, ganhando muitas vezes uma vertente humorística com o aumento exagerado das características do produto ou serviço que está promovendo.

Exemplos de hipérbole usados no dia a dia:

  • Morri de rir com a história que ela me contou.
  • Meu Deus, essa caixa pesa uma tonelada, não a consigo carregar sozinha!
  • Já te disse um milhão de vezes que não gosto disso.
  • Há séculos que estou esperando por esse dia!
  • Meu irmão gastou rios de dinheiro com a educação do meu sobrinho.
  • Estou morrendo de sono.
  • Ele veio voando mas não conseguiu chegar a tempo.

Exemplos de hipérbole na literatura e na música:

  • “Rios te correrão dos olhos, se chorares!.” (Olavo Bilac)
  • “Por você eu dançaria tango no teto,/eu limparia os trilhos do metrô,/eu iria a pé do Rio a Salvador...” (Roberto Frejat)
  • “Queria querer gritar/setecentas mil vezes/como são lindos/como são lindos os burgueses.” (Caetano Veloso)
  • “Pela lente do amor/Vejo tudo crescer/Vejo a vida mil vezes melhor.” (Gilberto Gil)
  • “Eu quero ter um milhão de amigos/e, bem mais forte, poder cantar!” (Roberto Carlos)

Fique sabendo mais!
- Hipérbole tem sua origem na palavra em latim hyperbole, através do grego hyperbolé, que indica excesso, exagero e proeminência.

Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.