Dígrafo é uma sequência de duas letras que forma um único som. Nos dígrafos, cada letra perde sua unidade sonora, uma vez que a sequência de duas letras representa apenas um fonema.

Exemplos:

  • missa (5 letras, 4 fonemas);
  • torre (5 letras, 4 fonemas);
  • quina (7 letras, 6 fonemas);
  • palha (5 letras, 4 fonemas);
  • chuva (5 letras, 4 fonemas);
  • ninho (5 letras, 4 fonemas);

Tipos de dígrafos

Existem dois tipos de dígrafos: os dígrafos consonantais e os dígrafos vocálicos.

Dígrafos consonantais

Ocorre quando o encontro de duas letras forma um único som consonantal.

Exemplos:

  • lh: agasalho, baralho, espelho.
  • ch: machado, chuva, chocolate.
  • nh: carinho, ganho, estranho.
  • rr: carro, torre, morro.
  • ss: massa, pêssego, pássaro.
  • qu: aquilo, máquina, querosene, toque.
  • gu: guitarra, águia, guerra, dengue.
  • sc: nascer, descer, piscina.
  • : nao, deo, crea.
  • xc: exceção, excesso, excelente.
  • xs: exsudar, exsudação, exsudativo.

Atenção!

Os grupos qu, gu, sc, xc e xs nem sempre formam dígrafos.

Qu e gu: São dígrafos apenas quando seguidos de e ou i e quando não se pronuncia a vogal u: queda, guerra, quitanda, guito,… Qu e gu não são dígrafos quando seguidos de a e o (quase, quadro, aquoso,…) ou quando a vogal u é pronunciada (cinquenta, frequente, tranquilo, linguiça, aguentar,…).

Xc: É dígrafo apenas quando seguido de e ou i: exceção, excelente, excitação, excitante,… Não é dígrafo quando seguido de a, o, u, l ou r: excarcerar, excomungar, excursão, exclamação, excremento,…

Sc: É dígrafo apenas quando seguido de e ou i: descer, nascer, piscina,… Não é dígrafo quando seguido de a, o, u, l ou r: escada, escolha, escumalha, esclerose, escravidão,…

Xs: É dígrafo apenas quando seguido de uma vogal: exsuar, exsicação, exsolução,… Não é dígrafo quando seguido de uma consoante: exstante, , exstipuláceo,…

Dígrafos vocálicos

Ocorre quando o encontro de duas letras forma um único som vocálico.

Exemplos:

  • am: lâmpada, ambição, campeão.
  • em: sempre, lembrança, tempo.
  • im: limpo, cachimbo, símbolo.
  • om: rombo, tombo, sombra.
  • um: cumprimento, tumba, chumbo.
  • an: tanque, sangue, canto.
  • en: frente, pente, mentira.
  • in: lindo, finta, cinto.
  • on: ponte, onde, fonte.
  • un: sunga, mundo, fundo.

Nota: Vários autores defendem que -am e -em em posição final nas palavras não formam dígrafo, mas sim ditongos, visto o m ser pronunciado como uma semivogal, produzindo assim dois fonemas.

Exemplos:

  • cantam;
  • falam;
  • também;
  • cantem;

Dígrafos e a divisão silábica

Não se separam, permanecendo na mesma sílaba, os dígrafos lh, ch, nh, gu e qu.

Exemplos:

  • maravilha (ma-ra-vi-lha)
  • chuva (chu-va)
  • carinho (ca-ri-nho)
  • guindaste (guin-das-te)
  • quente (quen-te)

Separam-se, ficando em sílabas diferentes, os dígrafos rr, ss, sc, sç, xc, xs.

Exemplos:

  • carro (car-ro)
  • ssaro (pas-sá-ro)
  • nascer (nas-cer)
  • nao (nas-ço)
  • exceção (ex-ce-ção)
  • exsudativo (ex-su-da-ti-vo)

Dígrafo versus encontro consonantal

Nos dígrafos, cada consoante perde sua unidade sonora, uma vez que a sequência de duas consoantes forma um único som. Assim, a junção das duas consoantes representa apenas um fonema.

Exemplos:

  • massa (5 letras, 4 fonemas);
  • corre (5 letras, 4 fonemas);
  • raquete (7 letras, 6 fonemas);
  • falha (5 letras, 4 fonemas);
  • chave (5 letras, 4 fonemas);
  • pinha (5 letras, 4 fonemas);

No encontro consonantal, cada consoante mantem sua unidade sonora, sendo possível a distinção do som de cada consoante. Assim, cada consoante representa um fonema diferente.

Exemplos:

  • blusa (5 letras, 5 fonemas);
  • floresta (8 letras, 8 fonemas);
  • atrasado (8 letras, 8 fonemas);
  • livro (5 letras, 5 fonemas);