Um ditongo ocorre quando há o encontro de uma vogal e de uma semivogal na mesma sílaba, originando uma sequência de sons vocálicos (encontro vocálico).

A vogal apresenta sempre um som mais forte e nítido, sendo o núcleo da sílaba. A semivogal apresenta um som mais fraco e menos nítido, acompanhando a vogal.

Lista de palavras com ditongos

  • apaixonado;
  • caixote;
  • bailarina;
  • automóvel;
  • cacau;
  • bacalhau;
  • gratuito;
  • muito;
  • cuidado;
  • respeito;
  • brasileiro;
  • primeiro;
  • jeito;
  • museu;
  • neutro;
  • ateu;
  • celeuma;
  • noite;
  • biscoito;
  • loiro;
  • outro;
  • loucura;
  • tesouro;
  • couro;
  • quase;
  • quarto;
  • quadro;
  • frequente;
  • equestre;
  • oblíquo;
  • aquoso;
  • imaginação;
  • vulcão;
  • cidadão;
  • mãe;
  • pães;
  • aviões;
  • corações;
  • limões;
  • cãibra.

Ditongo e a divisão silábica

É essencial entender que nunca ocorre a separação de ditongos na divisão silábica. Os ditongos permanecem sempre na mesma sílaba:

  • saudade (sau-da-de);
  • beijo (bei-jo);
  • caixa (cai-xa);
  • muito (mui-to);
  • noite (noi-te);
  • alemães (a-le-mães);
  • sabão (sa-bão);
  • quadrado (qua-dra-do);
  • frouxo (frou-xo).

Em alguns casos, é necessária especial atenção na identificação dos ditongos, como no caso das palavras com eia e aia, de forma a conseguir isolar a sílaba onde se encontra o ditongo:

  • meia (mei-a);
  • ceia (cei-a);
  • teia (tei-a);
  • saia (sai-a);
  • papaia (pa-pai-a).

Também com o dígrafo consonantal qu pode ocorrer dúvidas, em palavras como queijo, queixa e toquei. Ocorre ditongo porque o dígrafo qu forma um único som consonantal, não sendo a vogal u pronunciada.

  • queijo (quei-jo);
  • queixa (quei-xa);
  • toquei (to-quei).

Classificação dos ditongos

Os ditongos são classificados em crescentes e decrescente, conforme a existência de um crescimento ou decrescimento sonoro. São classificados em orais e nasais conforme a sua pronúncia.

Ditongos crescentes e decrescentes

Nos ditongos crescentes aparece primeiro a semivogal e depois a vogal, havendo um crescimento sonoro de um som mais fraco para um som mais forte:

  • ua (quase);
  • uo (aquoso);
  • ue (frequente);
  • ui (sagui).

Nos ditongos decrescentes aparece primeiro a vogal e depois a semivogal, havendo um decrescimento sonoro de um som mais forte para um som mais fraco:

  • ai (baixela);
  • au (mau);
  • éu (chapéu);
  • ói (dói);
  • ei (leite).

Ditongos orais e nasais

Nos ditongos orais, durante a pronúncia da vogal e da semivogal, a passagem do ar é feita apenas pela boca. Podem ser abertos ou fechados:

  • ai (pai);
  • éi (papéis);
  • au (degrau);
  • ou (ouro);
  • ui (fui).

Nos ditongos nasais, durante a pronúncia da vogal e da semivogal, a passagem do ar é feita pela boca e pelo nariz. São sempre fechados:

  • ão (pão);
  • õe (limões);
  • ãe (mãe);
  • am (falam);
  • em (sabem).

Outros encontros vocálicos

Além dos ditongos, existem outros encontros vocálicos, como os tritongos e os hiatos.

Nos tritongos, ocorre o encontro de uma semivogal, de uma vogal e de outra semivogal na mesma sílaba:

  • iguais;
  • Uruguai;
  • averiguei;
  • saguão;
  • enxaguou.

Nos hiatos, ocorre o encontro de duas vogais na mesma palavra, mas em sílabas diferentes:

  • sde;
  • cme;
  • ptico;
  • piada;
  • ps.

Saiba tudo sobre esses encontros vocálicos.

Atualizado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.