A carta argumentativa, conforme o próprio nome indica, é uma carta escrita e enviada por um remetente para um destinatário específico, seguindo a estrutura normal de uma carta. Sendo argumentativa, há a defesa de uma tese através de uma argumentação clara e objetiva, fundamentada em fatos verídicos e dados concretos.

É um recurso que permite ao cidadão se manifestar em relação a problemas sociais e desigualdades existentes, defendendo o seu ponto de vista e tentando persuadir e convencer o leitor a concordar com a tese defendida, através de interlocução.

Características da carta argumentativa

A carta argumentativa:

  • Apresenta um caráter pessoal, sendo escrita na 1.ª pessoa do singular.
  • É dirigida a um leitor específico, com o qual é estabelecida uma relação, havendo interlocução.
  • Tem como objetivo convencer ou persuadir um interlocutor específico.
  • Apresenta argumentos que defendem o ponto de vista ou posicionamento do remetente.
  • É habitualmente escrita para que seja feita uma reclamação ou uma solicitação.

Estrutura da carta argumentativa

1. Local e data

Indica o local e data em que a carta foi escrita.

Exemplos:
Rio de Janeiro, 15 de abril de 2016.
Porto Alegre, 26 de maio de 2016

2. Saudação inicial com identificação do destinatário

É apresentado um cumprimento que indica o nome da pessoa a quem se destina a carta. Deverão ser usados pronomes de tratamento adequados. Com base nesses, fica estabelecido o grau de formalidade e intimidade dos interlocutores que deverá ser mantido ao longo da carta. Poderá constar também o cargo ou função do destinatário.

Exemplos:
Prezado senhor ...
Caro senhor ...
Caro deputado ...
Excelentíssima senhora ...
Vossa Senhoria ...
Vossa Excelência ...

3. Corpo do texto

Nesta parte, é apresentado o motivo da escrita da carta, habitualmente uma reclamação ou uma solicitação, bem como o posicionamento adotado pelo autor da carta. Através de argumentos que defendem esse posicionamento ou ponto de vista, o remetente tenta convencer ou persuadir o interlocutor.
Deverá ser utilizada uma linguagem clara, objetiva e coesa. O discurso é feito na 1.ª pessoa do singular, sendo dirigido ao interlocutor, através de vocativos, pronomes de tratamento e flexão verbal na 3.ª pessoa do singular: considere, veja, imagine, repare, reflita, atente,...
Na parte final do corpo do texto, há espaço para a apresentação de propostas, sugestões e recomendações.

Exemplos:
Venho por este meio comunicar minha insatisfação...
Envio-lhe esta carta para informar...
Venho solicitar a sua atenção para a seguinte situação...
É do seu conhecimento que...
Lamento informar que...
Gostaria de considerasse o acima exposto...
Podemos constatar que essa situação é incorreta, dado que...
Passo a apresentar os fatos que confirmam o meu posicionamento.
O que acontece, na realidade, é...
Atente que todos os argumentos acima expostos contribuem para...
Diante de tal situação, peço que...
Peço, por favor, que considere o meu pedido...
Agradeço a atenção dispensada.
Aguardo, na esperança de receber uma resposta favorável ao meu pedido.
Desde já, coloco-me à disposição para qualquer esclarecimento.

4. Expressão de despedida

Deverá ser mantido o mesmo grau de formalidade e intimidade entre interlocutores estabelecido na saudação inicial.

Exemplos:
Atenciosamente,
Cordialmente,
Respeitosamente,
Melhores cumprimentos,
Sem mais, despeço-me,

5. Assinatura do remetente

Indica o nome da pessoa que escreveu e enviou a carta. Poderá constar também o cargo ou função do emissor.

Publicado em
Flávia Neves
Flávia Neves
Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia.