Alfabeto

O alfabeto oficial da língua portuguesa tem como base o alfabeto latino, também chamado de alfabeto romano, que é o sistema de escrita mais utilizado no mundo. É formado por vinte e seis letras, que podem ser representadas na sua forma minúscula ou maiúscula.

Minúscula:

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

Maiúscula: 

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

São lidas da seguinte forma:

  • a (á)
  • b (bê)
  • c (cê)
  • d (dê)
  • e (é)
  • f (éfe)
  • g (gê)
  • h (agá)
  • i (i)
  • j (jóta)
  • k (cá)
  • l (éle)
  • m (ême)
  • n (êne)
  • o (ó)
  • p (pê)
  • q (quê)
  • r (érre)
  • s (ésse)
  • t (tê)
  • u (u)
  • v (vê)
  • w (dáblio)
  • x (xis)
  • y (ípsilon)
  • z (zê)

Vogais e consoantes

No alfabeto português há, tradicionalmente, cinco vogais e dezoito consoantes. Contudo, com a entrada das letras k, y, w no alfabeto português, ocorre uma alteração nessa divisão: o k é uma consoante, o y é uma vogal e o w pode ser uma consoante ou uma vogal, dependendo da forma como é usado na palavra.

Vogais: a e i o u y w
Consoantes: b c d f g h j k l m n p q r s t v w x z

Letras K, W, Y

Anteriormente consideradas letras estrangeiras, as letras k, w, y foram oficializadas como letras do alfabeto português com o atual acordo ortográfico (de 1990, em vigor desde 2009). 

Podem ser usadas em:

Nomes próprios estrangeiros de pessoas e seus derivados:

  • Darwin e darwinismo;
  • Kant e kantismo;
  • Newton e newtoniano;
  • Taylor e taylorista;
  • Shakespeare e shakesperiano.

Nomes próprios estrangeiros de lugares e seus derivados:

  • Malawi e malawiano;
  • Kuwait e kuwaitiano;
  • Yorkshire e yorkshiriano;
  • Washington e washingtoniano.

Siglas, símbolos, unidades de medida e unidades monetárias:

  • km (quilômetro);
  • kg (quilograma);
  • W (Watt);
  • K (potássio);
  • yd (jarda).

Estrangeirismos de uso frequente:

  • download;
  • software;
  • show;
  • windsurf;
  • web;
  • playground;
  • playboy;
  • Whisky;
  • kit;
  • kart.

O caso do Ç

O ç (cê-cedilha) não está presente no alfabeto por não ser uma letra e sim a junção da letra c com um sinal diacrítico (a cedilha). 

Um sinal diacrítico tem como função atribuir um novo valor fonético a uma letra, alterando a sua pronúncia habitual. No caso da cedilha, é utilizada na letra c antes das vogais a, o, u, para que a letra c soe como /s/: ça, ço, çu, ção, ções.

Não se deve usar ç antes da vogal i e da vogal e, apenas c. O grupo silábico fica ça, ce, ci, ço, çu (sendo lido como sa, se, si, so, su).

Veja também